29 de agosto de 2011

MEU CORPO NÃO É MUDO QUARTA AS 20H NO TEATRO DO DIRCEU, TERESINA - PIAUÍ,

FOTO: LUCIANO NEVES, ARTE LUCIANO BRANDÃO.


"MEU CORPO NÃO É MUDO" COM DANÇA EFICIENTE,

O Projeto Dança Eficiente existe desde de 2005 é uma Parceria da Organização Ponto de Equilíbrio (OPEQ) e Associação de Cadeirantes do Município de Teresina (ASCAMT), tem coordenação e idealização dos bailarinos Valdemar Santos e Luis Carlos Vale. A proposta principal do projeto é trabalhar com dança contemporânea por meio de corpos distintos o grupo é formado por três cadeirantes e dois bailarinos andantes.

Estamos repletos de sentimentos e sensações. Meu corpo não é mudo" é um espetáculo de possibilidades e descobertas, onde cada movimentação traz um outro olhar para os corpos que dançam. Corpos repletos de limitações (quem não as tem?) e infinitas possibilidades (quem não as tem?). Buscamos desenvolver nossa dança de forma singular, harmônica, em sintonia com os outros corpos e as musicas. Acreditamos na diferenças encontradas nos nossos corpos como meios propício, para o surgimento de uma dança cada vez mais intima e particular que possa expressar nossas sensações, indagações e desejos.

"Não quero ter a terrível limitação de quem só vive do que é passível de ser vivido, eu não. Quero uma verdade inventada." (Clarice Lispector)


Elenco: Leonor, Meirilane Dutra, Mazé Alves e Luis Carlos Vale
Direção: Valdemar Santos
Produção: João Vasconcelos e Fran Silva
Concepção: Luis Carlos Vale e Valdemar Santos
Realização: Organização Ponto de Equilíbrio (OPEQ)
acessem para mais informações :http://ongpontodeequilibrio.blogspot.com/


MEU CORPO NÃO É MUDO
DIA 31 DE AGOSTO (QUARTA) ÁS 20H
TEATRO DO DIRCEU.
ENTRADAS 5 REAIS... TE ESPERO LÁ!

28 de agosto de 2011

Biografia: Valdemar Santos, ícone da cultura amarantina


Valdemar Santos nasceu em Amarante (PI), onde viveu até os 20 anos num convívio direto com a arte. Sua infância foi regada a banhos nas águas dos rios Parnaíba, Mulato e Canindé, sem esquecer das piracas (peixe abundante na região), além de muitadiversão  típica dos adolescentes da sua idade. Valdemar, hoje 34 anos, foi uma das primeiras, senão a primeira criançasuperdotada de Amarante, o que exigia uma atenção especial dos seus pais Vitor Carvalho e Teresa Carvalho. O seu contato com a dança iniciou muito cedo e já lhe dava a certeza de que iria seduzir grandes públicos por toda a vida com a sua arte.
Ainda menino, aos 06 anos (já respirando cultura), criou uma coreografia para apresentar para as mães; o desafio foi intenso por conta dos ensaios, figurino, mas o seu encanto era maior, o que o fez superar o seu primeiro grande desafio na sua pouca idade. A partir de então não deixou mais a dança. Enquanto adolescente, no auge da lambada, sua habilidade era impressionante já dançando e participando de campeonatos pela região conquistando títulos e mais títulos.
Identificando-se com a cultura amarantina, ingressou no teatro “Amarantus" que lhe concedeu a oportunidade exata para desenvolver e aperfeiçoar o seu lado artístico, período em que começou a desenvolver oficinas de dança e teatro. Ao mesmo tempo já desenvolvia seu dom com o talentoso Sidh Ribeiro com quem teve o seu primeiro contato com a dança mais elaborada. Assim surgiu o primeiro desejo em buscar a profissionalização no seu encanto maior, a dança. Outros talentos como Frank Lauro, Adalmir Miranda, Arimatan Martins ampliaram seus conhecimentos e alavancaram sua vida profissional, era o início da realização de um grande sonho.
Residindo em Teresina, capital do Piauí, após os 20 anos de idade, Valdemar iniciou uma forte parceria com Luzia Amélia, com quem muito se identificou profissionalmente, parceria essa que durou 06 anos e que realmente lhe rendeu o status de profissional de notória referência na dança no Piauí e em vários estados brasileiros.
O coreógrafo afirma que o profissionalismo é fruto de muita dedicação no trabalho e no estudo, razão pela qual mantém uma constante busca pelo aperfeiçoamento técnico e profissional em diversos centros do pais, em especial Rio, Fortaleza, Belém, Manaus.
Bem humorado, conduz a vida na esportiva e de forma extrovertida. Quase nada muda o seu estado de espírito. Uma das suas paixões é morar sozinho por necessitar do seu próprio tempo e espaço, por precisar, na maioria das vezes, de um estado contemplativo.
O que mais lhe aborrece é fazer o que não gosta. Valdemar aceita todo estado de ociosidade desde que esse estado seja criativo e somente gosta de fazer o que realmente quer. Respeitador, ele aprecia cultivar amizades e sempre buscou ser comunicativo, ouvir e ser ouvido, sair com amigos, viajar, conhecer gente nova, trocar ideias, falar sobre o Piauí e, principalmente sobre Amarante e Teresina, onde escolheu para viver por estar próximo a Amarante, onde sente-se confortável e em casa.
VALDEMAR SANTOS SOB OS HOLOFOTES DA TV MEIO NORTE (PROGRAMA REVISTA MEIO NORTE)



















































Fonte: http://www.meionorte.com/

24 de agosto de 2011

HOJE TEM: QUERIDA, A FESTA. NA OPEQ 21H






Querida, a festa. (QUADRA DA COHAB/PI. UMA NOITE DE ENCONTRO COM ARTE E MUSICA DE QUALIDADE, PERFORMANCES COM GRANDES ARTISTAS DA CIDADE.


Pretende reunir as pessoas mais descoladas da cidade. Rola dia 24 de agosto (quarta-feira) dentro da programação da “Semana da Diversidade 2011” realizado pelo grupo Matizes.

A Festa acontece no Ponto de Equilíbrio e Promete ser o acontecimento do ano no universo alternativo de Teresina. Tem na pista DJ`Samanta Menina e DJ Gravetto (Niterói/Teresina).

Temos:
Ambientes temáticos.
Bar com bebidas variadas.
Telão com vídeomusic.
Performance com Linda França, NAI Dirceu e Acrobacia aérea com Val Mimbó, além de performances com artistas locais convidados.

QUERIDA A FESTA é uma produção da ONG Ponto de Equilíbrio em parceria com Grupo Matizes e pretende se tornar um grande acontecimento dentro dessa semana que pretende promover discussão e diversão diversas esse é o segundo ano que a festa será realizada.

QUERIDA, A FESTA começa logo depois do BOCA DA NOITE DA SEMANA DA DIVERSIDADE, por tano se trata de um prolongamento da noite de quarta que já bomba no centro de Teresina.

O Ponto de Equilíbrio, fica Localizado na Avenida José dos Santos e Silva 1085, centro de Teresina com festa a OPEQ pretende promover a cultura no Estado de forma ampla e sem discriminação: Amamos a dança, vivemos o teatro, contamos a musica, sentimos as artes plásticas, bebemos as poesias, gozamos a diversidade.

22 de agosto de 2011

21 de agosto de 2011

NOS SIGA POR 100 RUAS DA ZONA NORTE.


ART DANÇA COMEMORA 10 ANOS COM UM CIRCUITO DE APRESENTAÇÕES POR 100 RUAS DA ZONA NORTE DE TERESINA-PIAUÍ-BRASIL.

PROJETO CONTEMPLADO COM O PRÊMIO KLAUSS VINNA (FUNARTE)











Direção Geral: Francisco Moreno
Direção Artistica: Valdemar Santos
Co- direção: Juliana Marcia
Coordenação: Luis Carlos Vale
Coreografias: Francisco Moreno e Juliana Marcia
Produção: João Vasconcelos
Apoio: Fran Silva e Zéh Carlos de Santis
Consultoria: Laurita Vale
Video-imagens: Ricardo Sousa
Design Gráfico: Jonathans Teixeira
Textos: Valdemar Santos e Vitorino Rodrigues
Figurinos: Siro Sires
Revisor de texto: Abdom Silva
Confecção de Figurinos: David Uchôa
Adereços: Siro Sires, Grupo Afoxá e Dionísio Brasil
Elenco: Deusa Dias, Edmária Araújo, Isabela Martins, Maiara Castro, Cleide Helena, Alex de Jesus, Eduardo Ananias, Carlos Anderson, Denis Aurélio e Wilamis Portugal
Idealização: Luis Carlos Vale e Valdemar Santos
Realização: Organização Ponto de Equilíbrio e Grupo Art Dança
Patrocínio: Ministério da Cultura, FUNARTE ( Fundação Nacional de Artes) e Governo Federal BRASIL

20 de agosto de 2011

ART DANÇA COMEÇA HOJE CIRCUITO DE APRESENTAÇÕES POR CEM RUAS DA ZONA NORTE


O PRÊMIO KLAUSS VIANNA Á CONCEDIDO AOS GRUPOS EM ÂMBITO NACIONAL QUE CONSEGUEM DESTAQUE PELA EXCELÊNCIA DE SEUS TRABALHOS É UMA FORMA QUE A FUNARTE ENCONTROU PARA VALORIZAR GRUPOS COM DESTAQUE EM TODO BRASIL. ESSA É A QUARTA EDIÇÃO QUE ENTRE OS CONTEMPLADOS TEMOS REPRESENTANTES DO PIAUÍ.  

GRUPOS PIAUIENSE QUE JÁ GANHARAM: BALÉ DE TERESINA, ESCOLA DE DANÇA NAÇÃO TREMEMBÉ, NÚCLEO DO DIRCEU E AGORA ART DANÇA.

DENTRE AS 600 PROPOSTAS NACIONAIS APRESENTADAS E AVALIADAS ESSE ANO, FORAM ESCOLHIDOS 40 E ART DANÇA FOI O REPRESENTANTE DO PIAUÍ A CONQUISTAR. 

O PROJETO TRATA-SE DA COMEMORAÇÃO DOS 10 ANOS DE EXISTÊNCIA E RESISTÊNCIA DO GRUPO ART DANÇA NA ZONA NORTE DE TERESINA. O PRÊMIO AGORA POSSIBILITA AO GRUPO CIRCULAR E MOSTRAR SEU TRABALHO A POPULAÇÃO ONDE RESIDE DESDE SUA FORMAÇÃO. 

O PROJETO FOI IDEALIZADO, ELABORADO E SERÁ EXECUTADO EM PARCERIA COM A ORGANIZAÇÃO PONTO DE EQUILÍBRIO. 

A FUNARTE, por meio do prêmio Klauss Vianna, possibilita ao Grupo Art Dança e a Organização Ponto de Equilíbrio realizarem 100 (cem) apresentações de um espetáculo que conta os anos de trabalho e dedicação do grupo “Art Dança”, que se dedicam ao fomento e exercício da cultura de Teresina, em especial a zona norte.

Damos inicio hoje a esse circuito que dura por dez dias e passa por 100 ruas da Zona Norte de Teresina comemorando com a população daquela região os 10 (dez) anos de existência dessa trupe de bailarinos cahamda: Art Dança.

Começamos pelo Teatro do Boi palco que deu inicio a nossa jornada de trabalho e de onde no anos 2000 começamos nossa trajetória artistica, por isso decidimos iniciar nossa comemoração de 10 anos onde tudo começou. 

CONVIDAMOS A TODAS AS PESSOAS PARA NOS ACOMPANHAR E FESTEJAR CONOSCO ESSA CONQUISTA DE VIVER DEZ ANOS RESISTINDO E INVESTINDO ENERGIA NA DANÇA DO ESTADO EM ESPACIAL, EM TERESINA.



Direção Geral: Francisco Moreno
Direção Artistica: Valdemar Santos
Co- direção: Juliana Marcia
Coordenação: Luis Carlos Vale
Coreografias: Francisco Moreno e Juliana Marcia
Produção: João Vasconcelos
Apoio: Fran Silva e Zéh Carlos de Santis
Consultoria: Laurita Vale
Video-imagens: Ricardo Sousa
Design Gráfico: Jonathans Teixeira
Textos: Valdemar Santos e Vitorino Rodrigues
Figurinos: Siro Sires
Revisor de texto: Abdom Silva
Confecção de Figurinos: David Uchôa
Adereços: Siro Sires, Grupo Afoxá e Dionísio Brasil
Elenco: Deusa Dias, Edmária Araújo, Isabela Martins, Maiara Castro, Cleide Helena, Alex de Jesus, Eduardo Ananias, Carlos Anderson, Denis Aurélio e Wilamis Portugal
Idealização: Luis Carlos Vale e Valdemar Santos
Realização: Organização Ponto de Equilíbrio e Grupo Art Dança
Patrocínio: Ministério da Cultura, FUNARTE ( Fundação Nacional de Artes) e Governo Federal BRASIL.

18 de agosto de 2011

3º Encontro “A Dança se move”


No dia 6 de agosto de 2011 das 9.30h às 17h vários artistas da dança se reuniram na Câmara Municipal de São Paulo para o 3º encontro “A DANÇA SE MOVE”, encontro organizado pela Cooperativa Paulista de Dança e Movimento Mobilização Dança, onde foram apresentados pelas três comissões aos presentes os primeiros esboços dos documentos para novos programas para a dança na cidade de São Paulo. Estiveram presentes: Vanessa Macedo (Cia. Fragmento de Dança), Fernanda Perniciotti (Artes do corpo – PUC), Danielle Greco (Artes do corpo – PUC), Camila Miranda (Artes do corpo – PUC), Vanessa Azar (Artes do corpo – PUC), Thais Pontes (Artes do corpo – PUC), Angelo Madureira, Luiz Anastácio, Patricia Pereira, Pedro Costa, Ana Catarina, Marisa Lambert,Carolina Nicolino,Luis Ferron, Carlos Freitas, Sandro Borelli, Angela Nolf, Helena Katz, Solange Borelli,Lívia Império, Ana Teixeira, Amaury C. Filho, Key Sawao, Marcos Moraes,José M. de Carvalho, Mariana Nunes H, Raymundo Costa,Evinha Sampaio, Ricardo Brito e Beto Madureira.





Os Documentos apresentados e discutidos foram estes:
1. Redação básica geral da proposta de Programa de Circulação.
"A proposta é desenvolver um piloto para um programa de circulação para artistas/companhias/espetáculos paulistanos. Seriam premiados projetos de circulação nacional e internacional, com o objetivo de levar a produção da dança paulistana para outros estados brasileiros e outros países. Os detalhes precisariam ser melhor discutidos. Apontou-se a necessidade de favorecer propostas de cooperação, através de formas de contrapartida local. Optou-se por indicar isto sem contudo impor a necessidade de uma pauta final já no projeto, devido às dificuldades de se conseguir confirmação com a antecedência necessária. A partir da proposta anterior, de pensar um sistema de pontuação segundo um cruzamento de critérios (quantidade de pessoas que viajam + distâncias a serem percorridas), poderia se pensar em valores distintos, pré estabelecidos."
Elaboraram este documento: Marcos Moraes, Sofia Cavalcante, Eliana Cavalcante e Sandro Borelli.

2. Texto do Projeto-Programa para novas pesquisas em Dança.
O Projeto-Programa Novas Direções em Dança visa propor processos colaborativos entre as áreas de produção cultural, crítica, curadoria e criação artística em dança, para pesquisadores de até 3 (três) anos de prática. O projeto busca contemplar as áreas de Criação/Pesquisa, e a de Produção Curadoria Crítica. Os contemplados em Criação/Pesquisa terão a responsabilidade de pelo menos uma mostra processual ao longo do programa. Já os financiados pela área de Produção Curadoria Crítica terão como função conhecer os trabalhos contemplados pelo projeto, e em grupo, desenvolver mostras e eventos que supram as necessidades dos trabalhos de Criação em Dança, em diálogo dessas pesquisas com seus locais de atuação na cidade de São Paulo, assim como a produção de reflexões a partir dos mesmos.

Elaboraram este documento: Fernanda Perniciotti, Danielle Greco, Camila Miranda,Vanessa Azar e Thais Pontes.

3. PROPOSTA DE PROGRAMA PARA GRUPOS OU ARTISTAS COM MAIS DE 15 ANOS DE PESQUISA CONTINUADA NA CIDADE DE SÃO PAULO
JUSTIFICATIVA
A Dança como uma área do saber, portanto produtora de conhecimento
Quando se fala em produção de conhecimento, em qualquer área do saber, a “pesquisa” é o principal instrumento para a realização de um trabalho. Sua importância a coloca praticamente como sinônimo de produção do conhecimento. Só a pesquisa é capaz de trazer para a discussão aspectos que norteiam qualquer questão social a ser analisada, compreendida e, consequentemente, transformada, bem como aspectos que incidem sobre ela. Ao admitirmos que a dinâmica da sociedade implica transformações culturais, sociais, econômicas e políticas, é preciso que consideremos o que contribuiu para isso e os efeitos dessas transformações, trazendo-os à tona para que, a partir disso, as ações, ou a atuação em si, estejam em harmonia e comprometidas efetivamente para o desenvolvimento sadio da sociedade. No caso da arte, o artista, na condição de criador, difusor e produtor do conhecimento, é o agente determinante que se posiciona diante dos fatos, da conjuntura do seu meio, tendo a propriedade para buscar e identificar, por meio da pesquisa, a situação em questão. Isso quer dizer que sua ação jamais será neutra no aspecto político. Por isso mesmo, seu trabalho deve ter clareza quanto ao tipo de sociedade que pretende ajudar a construir e ao conjunto de valores a que aspira. Além do aspecto político do trabalho, é preciso que ele esteja comprometido com a ética e com a estética, em sentido mais amplo – é o compromisso com a transformação de sua arte, com a qualidade da produção artística e seu efeito na sociedade. Portanto, o artista da dança cria relações de poder, questiona, desconstrói, reconstrói, desobstrui e interpreta as diferentes dinâmicas da sociedade como instrumento de construção de novas relações, novas identidades e novos conhecimentos, propondo, assim, uma arte comprometida com o seu papel e a produção de conhecimento.
OBJETIVO:
I - Apoiar a manutenção de pesquisa continuada em dança contemporânea de artistas ou grupos com mais de 15 anos de trabalho artístico na cidade de São Paulo de notoriedade e mérito comprovados.
Entende-se por “Pesquisa Continuada em Dança”, na proposta desse programa, o trabalho cotidiano, ao longo do tempo, de artistas que questionam constantemente seu fazer no contexto em que estão inseridos. Esse questionamento é crítico e criativo. A “Pesquisa em Dança” tem caráter processual, portanto não se esgota. Lida-se com o corpo e com o movimento, no tempo e no espaço, tendo por base procedimentos sistemáticos, que são compreendidos, aqui, como a tarefa de construir um vocabulário próprio, um modo de se colocar no mundo. Tais mecanismos são as ferramentas que produzem determinado tipo de assinatura autoral. Construir esse vocabulário demanda muito tempo. Somente os artistas que estão nessa prática constante conseguem tal labor. O artista que se insere nessa plataforma de “Pesquisa Continuada em Dança” é um trabalhador artesanal na sua área e esse trabalho requer engajamento, com a sua prática e com o entorno, que o leva a uma busca intensa e constante por uma arte de qualidade.
DIRETRIZES:
O programa legitima a dança enquanto produtora de conhecimento;
II O foco está no artista ou grupo, o seu histórico é o que justifica o projeto;
II - Os projetos propostos serão desenvolvidos num prazo mínimo de 3 anos e máximo de 4 anos;
III - O valor destinado será de até 2 milhões (dois milhões de reais) por projeto, sendo o teto de R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) por ano, considerando a coerência com o plano de trabalho apresentado;
III – Serão contemplados 2 (dois) grupos/ artistas por ano.
PRÉ - REQUISITOS PARA INSCRIÇÃO
I Para se inscreverem os artistas ou grupos deverão estar sediados e com atividade profissional no município de São Paulo há pelo menos 15 anos.
CRITÉRIOS DE SELEÇÃO
I - Histórico da pesquisa artística como critério prioritário
II - Clareza e qualidade do projeto apresentado coerentes com a trajetória artística
COMISSÃO DE SELEÇÃO
A comissão que selecionou os projetos se comprometerá em avaliá-los após o período de um ano. O programa preverá uma verba para a comissão.
EXIGENCIAS
I - Os ingressos deverão ser gratuitos ou vendidos a preços populares;
II - A manutenção do projeto e o conjunto de ações relacionadas à pesquisa do artista ou grupo deve acontecer na cidade de São Paulo, no entanto, o programa permite ações em outras localidades, no Brasil e no exterior;
III O projeto deverá obrigatoriamente indicar uma sede estabelecida na cidade de São Paulo para a sua realização;
IV – O projeto deverá obrigatoriamente prever um plano de mídia;
V- O projeto deverá apresentar um plano estratégico para realização das suas ações e sua organização cronológica (as etapas correspondem a um ano ou ao período de término do projeto, a verba é disponibilizada no início de cada etapa e o relatório ao seu fim).
IMPEDIMENTOS
III - As ações propostas no projeto não podem ter copatrocínio ou serem realizadas concomitantemente com verba de outra instituição ou projeto. No entanto, o artista ou grupo pode realizar outras atividades, temporadas ou circulação, desde que não sejam contadas como contrapartidas deste projeto e, ainda assim, deve constar nas mesmas a logomarca da secretaria na condição de realizadora.
IV - O artista ou grupo não pode concorrer em nenhum outro edital do município enquanto estiver contemplado pelo programa em questão.

Elaboraram este documento:
Adriana Grechi, Amauri Cacciacaro, Ana Teixeira, Angela Nolf, Key Sawao, Sandro Borelli, Vanessa Macedo, Vera Sala, Wellington Duarte e José Maria.

17 de agosto de 2011

MEU CORPO NÃO É MUDO, SE APRESENTA HOJE A NOITE NO TEATRO DO DIRCEU

AOS QUE AINDA NÃO VIRAM "MEU CORPO NÃO É MUDO" TEM HOJE MAIS UMA OPORTUNIDADE DE PRESTIGIAR A CIA. DANÇA EFICIENTE, UM TRABALHO REALIZADO COM CADEIRANTE DESDE 2005 PELA ORGANIZAÇÃO PONTO DE EQUILÍBRIO EM PARCERIA COM ASSOCIAÇÃO DE CADEIRANTES DO MUNICÍPIO DE TERESINA. 

MEU CORPO NÃO É MUDO, JÁ CIRCULOU POR SEIS ESPAÇOS PÚBLICOS COM ACESSIBILIDADE DESDE SUA ESTRÉIA EM JUNHO. SEGUE ENTÃO PARA MAIS UMA SÉRIE DE APRESENTAÇÕES QUE COMEÇA HOJE DENTRO DO PROJETO TEMPORADA POPULARES DO TEATRO JOÃO PAULO II.


O Projeto Dança Eficiente tem coordenação e idealização dos bailarinos/corógrafos/produtores: Valdemar Santos e Luis Carlos Vale. 




A proposta principal do projeto é trabalhar com dança contemporânea por meio de corpos distintos. Estamos repletos de sentimentos e sensações. Meu corpo não é mudo"  se apresenta hoje as 20h no Teatro João Paulo II, é um espetáculo de possibilidades e descobertas, onde cada movimentação traz um outro olhar para os corpos que dançam. Corpos repletos de limitações (quem não as tem?) e infinitas possibilidades (quem não as tem?). Buscamos desenvolvermos nossa dança de forma singular, harmônica, em sintonia com os outros corpos e as musicas. Acreditamos na diferenças encontradas nos nossos corpos como meios propício, para o surgimento de uma dança cada vez mais intima e particular que possa expressar nossas sensações, indagações e desejos.

Ingressos a preços populares.

16 de agosto de 2011

ART DANÇA SE APRESENTA EM 100 RUAS DA ZONA NORTE, PRÊMIO KLAUSS VIANNA



"O PRÊMIO KLAUSS VIANNA Á CONCEDIDO AOS GRUPOS EM ÂMBITO NACIONAL QUE CONSEGUEM DESTAQUE PELA EXCELÊNCIA DE SEUS TRABALHOS. É A FORMA QUE A FUNARTE ENCONTROU PARA VALORIZAR E PATROCINAR INICIATIVAS DE GRUPOS COM DESTAQUE EM TODO BRASIL. ESSA É A QUARTA EDIÇÃO QUE ENTRE OS CONTEMPLADOS TEMOS REPRESENTANTES DO PIAUÍ" 






A FUNARTE, por meio do prêmio Klauss Vianna, possibilita ao Grupo Art Dança e a Organização Ponto de Equilíbrio realizarem 100 (cem) apresentações de um espetáculo que conta os anos de trabalho e dedicação dessa trupe de artistas chamada “Art Dança”, que se dedicam ao fomento e exercício da cultura de Teresina, em especial a zona norte.

As apresentações serão distribuídas em dez bairros: Acarape, Mafuá, Mafrense, Poti Velho, Matadouro, Aeroporto, Buenos Aires, São Joaquim, Real Copagri e Mocambinho. O projeto comemora os dez anos de existência do grupo, que surgiu de uma oficina de dança realizada em 2000 pelo arte-educador Francisco Moreno e que hoje é uma companhia consolidada e atuante no cenário local.

Em cada bairro serão atingidas dez ruas, pois é um fato ainda constante nessa região o hábito dos moradores sentarem as portas das casas para conversar com a vizinhança ou simplesmente ver a vida passar. Esse hábito despertou a idéia de levar a essas ruas o trabalho do Grupo Art Dança, que vem ao longo dos anos misturando o regional, o folclórico, o jazz e o contemporâneo em suas criações. Nesse projeto, idealizado e elaborado em parceria com a Organização Ponto de Equilíbrio, o grupo Art Dança mistura técnicas da dança, circo e teatro, construindo um musical contagiante que mescla a realidade do cotidiano do grupo, com um apanhado histórico da sua trajetória criativa, pensado para ganhar as ruas e, assim, dar mais visibilidade ao trabalho desenvolvido por uma década na região.

O grupo Art Dança e a Organização Ponto de Equilíbrio acreditam que dessa forma conseguirão construir um alicerce forte que projete por mais dez anos seu trabalho. Eles apostam na aproximação com a vizinhança como base para o fortalecimento do seu trabalho. Certamente a relação com a comunidade é fator importante para o reconhecimento profissional dos artistas.




GRUPOS PIAUIENSE QUE JÁ GANHARAM: BALÉ DE TERESINA, ESCOLA DE DANÇA NAÇÃO TREMEMBÉ, NÚCLEO DO DIRCEU E AGORA ART DANÇA.

DENTRE AS 600 PROPOSTAS NACIONAIS APRESENTADAS E AVALIADAS ESSE ANO, FORAM ESCOLHIDOS 40 E ART DANÇA FOI O REPRESENTANTE DO PIAUÍ A CONQUISTAR. 

O PROJETO TRATA-SE DA COMEMORAÇÃO DOS 10 ANOS DE EXISTÊNCIA E RESISTÊNCIA DO GRUPO ART DANÇA NA ZONA NORTE DE TERESINA. O PRÊMIO AGORA POSSIBILITA AO GRUPO CIRCULAR E MOSTRAR SEU TRABALHO A POPULAÇÃO ONDE RESIDE DESDE SUA FORMAÇÃO. 

O PROJETO FOI IDEALIZADO, ELABORADO E SERÁ EXECUTADO EM PARCERIA COM A ORGANIZAÇÃO PONTO DE EQUILÍBRIO.