20 de dezembro de 2010

NOVO CRONOGRAMA DE TRABALHO

EM VIRTUDE DE MUDANÇAS NOS PRAZOS E REPASSES REFERENTES AO MUSICAL PALMARES (ORGANIZAÇÃO PONTO DE EQUILÍBRIO, QUE FOI PREMIADO PELA FUNDAÇÃO PALMARES COM O PREMIO "IDÉIAS CRIATIVAS" E QUE SERIA APRESENTADO EM 30 DE NOVEMBRO. INFORMAMOS A BAIXO, NOVO CRONOGRAMA DE TRABALHO, QUE AGORA SEGUE VALENDO TENDO EM VISTA QUE TODAS AS QUESTÕES BUROCRÁTICAS FORAM RESOLVIDAS.


CRONOGRAMA DE TRABALHO, MUSICAL PALMARES.
ASSINATURA DE CONTRATO: dias 21, 22 e 23 de dezembro/2010..
ENSAIOS: dias 05, 06,07, 10, 11, 12, 13,14 e 17 de janeiro/2011 19h.
Ensaio aberto dia 06 de janeiro/2011. Shopping da Cidade.
Lançamento dia 18 de janeiro/2011, ADH, Ponto de Equilíbrio.
APRESENTAÇÕES: 19(Mocambinho), 20 (Centro), 21(Parque Piauí) e 22 (Dirceu) de janeiro/2011 sempre as 19h.
Prestação de contas e relatórios: 24 e 25 de janeiro/2011.
Quantidades de ensaios: 10/
Apresentações: 04/
Apresentação na TV, de 02 a 04 vezes.
Entrevista em rádio 01 vez/
Panfletagem e divulgações promocionais (eventuais).

12 de dezembro de 2010

Por uma infância sem racismo



EM COMEMORAÇÃO A HISTÓRIA DO NEGRO, A ORGANIZAÇÃO PONTO DE EQUILÍBRIO ESTRÉIA DIA 18 DE JANEIRO NA IGREJA SÃO BENEDITO.
AGUARDEM MAIS DETALHES ANO QUE VEM...

8 de dezembro de 2010

Mostra de Solos e Duos em Fortaleza



Foi com grande satisfação que a Cia. Dança Eficiente participou da I Mostra de solos e duos de Fortaleza-CE, que teve uma programação bem intensa de dez dias de espetáculos oriundos de várias cidades como: Fortaleza, Cariri, Juazeiro do Norte, Campina Grande e Teresina (perdão se esqueci de alguma cidade, mais a programação foi tão intensa que fica difícil lembra de tudo, mais qualquer coisa vejam no blog do evento). O certo que ali foi criado um lugar de resistência na dança Nordestina, deu pra sentir no discurso da organizadora do evento Silva Moura que aquele evento não tinha a pretensão de fazer curadoria ou selecionar o que pode ou não ir para a programação, o que permitiu uma novas perspectiva no formato desse tipo de encontro. De fato a mostra tem um formato bem peculiar, e na verdade já vem sendo realizada a mais de seis anos de forma mais espontânea. Esse ano a mostra ganhou volume, um formato mais coeso e uma divulgação mais intensa o que possibilitou a participação de muitos artistas e companhias da região. 







Outra intenção do evento e possibilitar com que os profissionais nordestinos dancem pros nordestinos, no momento em que embora vizinhos, Piauí, Ceará e Pernambuco não dialogam ou permite o circuito legal que possibilita a quebra  das fronteiras geográficas e fortaleça o circuito programado dos profissionais, possivelmente isso abra um outro olhar para a produção de dança no Brasil, pois, provoca o país a se volta para outras demandas e criar novo circuito na dança nacional, respeitando e apostando nas possibilidades de cada região desse imenso país que ama a dança e dançar. Encontro assim nos faz ver que é possível e viável realizar em suas cidades eventos para dança, isso prova que só nos falta planejamento e boa vontade política dos artistas e produtores de cultura nas cidades, certamente são os mesmo artistas. O que vemos em eventos como esse é que existem milhares de ações acontecendo "Brasil a dentro" e conhecer grupos com 15 anos de estrada dá-nos um fôlego necessário, é possível sim criar essa rede que possibilite o circuito das produções desses artistas, todos já temos as táticas para realizar suas ações, agora nos resta agir e contribuir na possibilidade de articulação local, podemos ter agora uma rede que possibilite nos articular e juntos fortalecer o coletivo.







Quero aqui colocar a Organização Ponto de Equilíbrio, a qual me encontro diretor artístico e produtor da Dança Eficiente que participou com espetáculo "Duo em Tripé" da mostra, quero nos colocar disponível e disposto a acolher e contribuir na produção local de grupos ou artistas interessados em chegar até Teresina.PI.  
Aqui realizamos no mes de abril a semana da dança que realiza inumeras atividades na semana do dia 29 de abril, por tanto quem tiver propostas e queira apresenta-la por meio do e-mail: opeqpi@gmail.com temos como ajudar no alojamento e desconto pra café da manhã e almoço. entrem em contato.

VALDEMAR SANTOS
TERESINA PIAUÍ
(86) 8838 5099/ 9994 1543
valdemarsantos2@hotmail.com

1 de dezembro de 2010

Dança Eficiente se apresenta em Fortaleza


A Organização Ponto de Equilíbrio através do projeto Dança Eficiente apresenta o espetáculo “Duo em Tripé” na I Mostra de solos e duos que acontece no Teatro José de Alencar em Fortaleza. O espetáculo foi contemplado no Programa BNB de Cultura – Edição 2010 e idealizado pelos bailarinos e coreógrafos Luís Carlos Vale e Valdemar Santos. "Duo em Tripé" foi o único projeto contemplado em arte cênica Dança do estado do Piauí e depois da estréia já foi apresentado em Floriano, Bom Jesus, Amarante, Parnaíba e agora vai para Fortaleza.



" O convite partiu da organizadora do evento a Silvia Moura, como é a primeira edição do evento eles convidaram alguns artistas como ela diz "especial" se tratando da relevância do trabalho que desenvolvem em suas cidades. Conheci Silvia em Brasília no Encontro Nacional de Dança, lá apresentei o trabalho pra ela e desde então vem nos acompanhando pela internet, quando decidiu fazer o evento me convidou pessoalmente, ficamos muito felizes com o convite, representa também uma projeção regional para o projeto e claro abri espaço para novos desafios profissionais" diz Valdemar Santos, idealizador do projeto que trabalha com Luis Carlos Vale voluntariamente desde 2005.






O Espetáculo "Duo em Tripé" é a exibição de dois corpos distintos em suas peculiaridades mais que se conectam e descobrem formas de se relacionar e dançar, sem necessariamente se adaptar a movimentação do outro, apresenta uma autonomia na presença dos corpos fazendo deles instrumentos de comunicação util que se expressa e se exibe inteiro. A pesquisa de criação do espetáculo de dança foi desenvolvida para uma bailarina cadeirante e um bailarino contemporâneo e faz da dança de salão um elemento marcante que acentua e costura as cenas. Também é didático no momento em que apresenta em seu percurso um apanhado da história registrada da dança universal. As imagens criadas superam as questões referentes a inclusão da pessoa com deficiencia.




O Projeto Dança Eficiente é importante veículo de inclusão social pois apresenta um trabalho que já vem se desenvolvendo desde 2005 e que a cada ano conquista novos espaços e parceiros. O processo se mistura com a história política das pessoas com deficiência e dessa forma exerce papel importante na garantia de seus direitos. Atinge a comunidade periférica da cidade de Teresina, com uma manifestação significativa, mudando um dado do ambiente de vida. O dueto é um trabalho entre uma cadeirante e um bailarino, parceria entre os artistas Meirilane Dutra e Luís Carlos Vale. A coreografia é de Valdemar Santos, Daniel Moura e Luis Carlos Vale, direção de Valdemar Santos; figurinos de Danilo França.

A estreia do Espetáculo aconteceu no dia 21 de setembro desse ano, justamente o “Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência”, no Teatro João Paulo II às 19 horas com entrada franca depois seguiu fazendo um circuito por cinco Vilas de Teresina em praça pública foram as seguintes vilas: Vila Mariana, Vila da Paz, Vila Irmã Dulce, Vila do Avião e Vila Operária. O circuito de atividades visa valorizar os locais das apresentações como também as pessoas que vivem nestas vilas da cidade levando arte de qualidade para todos.

O espetáculo Duo em Tripé é uma iniciativa da Organização Ponto de Equilíbrio incluso no Projeto Dança Eficiente. Com parceria da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves dentro da Coordenação do Projeto Corpo Inclusivo, financiado pelo Banco do Nordeste, através do Programa BNB de Cultura e apoiado pela empresa de Teresina Gama Refrigeração.

O trabalho será apresentado dia 04/12 as 20h no Teatro José de Alencar, é sem dúvida uma grande passo para a Dança Eficiente, vamos representar a dança do Piauí no evento.



ATENÇÃO!!!!!!!!!!!!!!!!

P.S. Fotos: Michele Tajra.

30 de novembro de 2010

Portal de Amarante-PI

Portal de Amarante-PI

AMARANTE NOSSA DE CADA DIA, ESTRÉIA COM SUCESSO EM AMARANTE.


A “I Mostra Teatral Polivalente” encenou no dia 26 de novembro na Câmara Municipal de Amarante e também no Colégio Polivalente com a estréia da peça “Amarante nossa de cada dia”. Um texto que conta de forma livre a história de Amarante, um texto bem humorado e com fundamentos históricos que são base da pesquisa feita pelas autoras Josélia Soares e Selma Bustamante que escreveram e produziram a peça nos meados da década de noventa, tendo sido um grande acontecimento da época e que resultou em diversas ações culturais existentes até hoje. O próprio fato de retomarmos a peça representa um forma de resistir culturalmente, tendo em vista que Amarante é um das grande referencias estadual de cultura e arte. Para o projeto foram inscritos cerca de 100 alunos, destes 28 integraram a montagem final, o processo durou cerca de seis meses com aulas e ensaios nos fim de semana com o professor e coreógrafo Valdemar Santos e a coordenação de Selma Alves, ambos integrantes da primeira montagem da peça com o grupo de Teatro "Amarantus”.







A peça, de autoria de Josélia Soares, tomou forma e ganhou vida na interpretação das personagens minuciosamente trabalhadas por Valdemar Santos e Selma Alves que contou a história das origens de Amarante. O grupo teatral está sendo implantado com incentivos do PDE, Plano de Desenvolvimento da Educação, e anualmente, a nível projeto escolar, estará sendo renovado com novos alunos e novas peças.





[VALDEMAR SANTOS – Diretor da Peça] - Quando a gente conhece a nossa história, adquire fundamentos para melhor valorizar e apreciar o teatro que é uma ferramenta que requer muita dedicação e concentração. Com essa peça, um dos nossos principais focos é fazer com que a cidade se volte para si usando essa ferramenta imprescindível que é o teatro. Cabe a nós mesmos reconhecer que cultura é caso de vida ou morte porque ela faz com que a sociedade tenha uma outra visão sobre a vida. Amarante se perdeu um pouco culturalmente falando, mas iniciativas como essa são de grande valia para que a cultura ganhe credibilidade na sociedade e o teatro tenha o seu espaço garantido.


mais detalhes acesse: http://www.meionorte.com/amarante



22 de novembro de 2010

Musical Palmares



Encontra-se em pleno vapor a montagem do MUSICAL PALMARES, um projeto da Organização Ponto de Equilíbrio vencedor do Prêmios Idéias Criativa para as comemorações no mês da Consciência Negra. O prêmio foi concedido pela Fundação Palmares sendo o único contemplado no Nordeste, o que nos deixa felizes e acreditando ainda mais no nosso potencial artístico/profissional.

O Musical tem estréia marcada para dia 30 de novembro as 19h no Adro da Igreja São Benedito, a unica igreja no Brasil que tem um santo negro como padroeiro. O musical conta com a maioria do elenco formado por artistas piauienses negro com destaque na dança, teatro e musica, motivo de orgulho por estarmos representando não apenas uma cultura mais todos os Negros. A direção geral do projeto é da dupla Valdemar Santos e Luis Carlos Vale, coreógrafo Valdemar Santos, assistênte de coreografia Elizabeth Battali, diretor musical Saquá e Figurista Danilo França.

No elenco estão, Kleo de Santis, Juliana Marcia, Mikael Rodrigues, Cleide Fernando, Zé Carlos de Santis, Nayara Fabrícia, Marcos André, Elizabeth Battali, Fernando Freitas, Ricardo Totte, Saquá, Beth Moreno e Coisa de Nêgo.

O roteiro conta na dança e no canto a história do povo negro. De forma cronológica mostramos nossa trajetória a cultura e a resistência, é um trabalho repleto de ritmos, cores e sentimentos é sem dúvida uma belíssima homenagem a nossa cultura.

18 de novembro de 2010

17 de novembro de 2010

O Corpo Negro na Dança Contemporânea Brasileira


1) O que te levou a dançar?
A dança me tocou aos seis anos de idade, nasci numa cidade do interior do Piauí chamada Amarante, lá desde muito cedo tive contato com manifestações folclóricas como a dança do cavalo piancó, bumba meu boi, divino e o pagode do mimbó, sempre me chamou muita atenção o movimento e me mover sempre foi um grande prazer. Em todos momentos da minha vida a dança esteve presente e sempre me moveu literalmente. Em Amarante crie um grupo de dança quando tinha 15 anos com algumas amigas da rua e fazemos muitas apresentações, fui autodidata e tinha facilidade de me mover e de criar coreografias. Foi pra continuar dançando que aos 19 anos me mudei para Teresina e iniciei de fato os estudos em dança, Escola de dança do Estado foi minha primeira formação de quatro anos de balé clássico. Na vivencia em companhias fui primeiro do Balé Popular do Piauí por dois anos, depois Balé Folclórico de Teresina por cinco anos e mais tarde um grupo independente Cia. Equilíbrio de dança que estou ligado até hoje e a dois anos se transformou na ONG Ponto de Equilíbrio com sede em Teresina.

2) Como foi/é a sua atividade profissional no contexto da dança contemporânea brasileira?
Depois de dez anos estudando e dançando em Teresina me transfiro pro Rio de janeiro onde fico por um ano me especializando em Dança na Faculdade Angel Viana isso em 2004/2005 e foi ai que tive mais contato com a dança contemporânea e pude ver de perto a produção brasileira e ter contato direto com os artistas também. Me interessou muito investigar o movimento e sempre tive o lado criador aflorado, quando descobrir que existia outras forma de pensar e conceber dança me sentir realizado. Desde então venho na busca para desenvolver um trabalho que me questione, que me tire do comodismo, me estimule e desafie criativamente. O processo de criação me realiza também cada vez mais e tenho apostado em processos coletivo e de curta duração nos últimos projetos solos, tentando buscar no exercício da criação outra dinâmica, partindo do principio de que um trabalho desenvolvido em duas ou três semanas possa ter consistência. Entendo isso como um fenômeno da dança contemporânea que pode trazer mais dinamismo e frescor ao meu trabalho. É difícil pra mim listar as minhas atividades no contexto nacional acredito mais numa atuação local, como por exemplo: os projetos Corpo Inclusivo, Nação Tremembé, estudo sobre o corpo nº 0224 e Ponto de Cultura de Amarante que são atividades de formação de público para a dança no momento.


3) Fale um pouco sobre a sua vivência nesse contexto?
Penso ter respondido essa questão na anterior...?

4) O que tem a dizer sobre o seu convívio com colegas, grupos/cias. de dança e platéia?
Por aqui venho construindo uma relação de troca com conversas e bate papos antes e durante os espetáculos com a platéia isso certamente contribui num melhor entendimento e convívio, sinto que a platéia tem ainda preconceito com a dança contemporânea e que sempre associam a dança a coreografias sincronizadas e acrobáticas, mais aos poucos nesse quatro anos de trabalho e com o Núcleo do Dirceu o convívio tem melhorado.
Com os colegas e grupos venho buscando desde 2007 realizar mais ações em parceria e conseguindo inúmeros resultados positivos, a realização por três anos da mostra Piauí Dança que acontece no dia da dança em abril, tem sido uma ação sólida que cresceu muito e contribuiu para os artistas pensar e realizar ações em parceria instaurando um estado de classe nunca antes existido. O evento esse ano durou mais de doze horas e teve mais grupos envolvidos foram 23 no total. A ONG Ponto de Equilíbrio tem dois anos de atuação e já realizou vários eventos que juntou para discussões, trabalhos e confraternização os profissionais e amantes da dança, somos hoje referencia no sentido de aglutinar os profissionais de Teresina e conseguimos manter uma relação boa com todos.

5) Durante a sua formação, você teve referência/influência de bailarinos/as, coreógrafos/as, professores/as negros/as brasileiros/as? Poderia citar alguns/mas?
Sim, minha cidade natal fica do lado do Mimbó que é o único quilombo do Piauí e um dos pouco existentes/resistentes nos Brasil, uma das primeiras dança que aprendi foi o "Pagode do Mimbó" dança de origem africana e muito ritmada com variações de pisadas de pé no chão, a percussão corporal é introduzida na dança e isso se dançava a noite inteira na época dos festejos e semana santa, Foi com a negra Deuzuita minhas primeira aulas dessa dança, depois Veio a Nêga Ana coreógrafa de Amarante com quem me apresentava em alguns eventos locais, em Teresina tive grande parte de minha formação com Luzia Amélia uma referencia local de negritude e dança. Com o Bloco Afro Cultural Coisa de Nêgo pude ter mais contato com a dança afro e acabei desenvolvendo alguns trabalho entre 2006 e 2009 com os mestres desse grupo. Como inspiração posso citar Michael Jackson, Bombom, Caju, Castanha, Sebastian, Globeleza e Pelé.

6) O que você poderia dizer sobre a presença do/a negro/a no mundo da dança contemporânea brasileira?
No Brasil a presença de destaques negros no cenário nacional é incipiente, no sentido de participação em grandes festivais e eventos praticamente inexistente, sendo isso reflexo da falta formação e estímulo. Conta-se nos dedos os destaques negros na dança contemporânea brasileira embora, sinto que exista uma discriminação maior no sentido regional, dependendo de que região do país você é, tem-se um olhar e tratamento diferenciado sobre o profissional e seu trabalho.

7) Como você vê o/a negro/a na dança contemporânea brasileira (escolas, universidades, grupos/cias. de dança, por exemplo) nos dias atuais?
A dança contemporânea brasileira reflete claramente nossa sociedade, os negros tem conquistado seus espaço e a sua qualidade e potencial não são mais questionados como antes, vejo o Brasil como um país que vem melhorando aos poucos a forma como trata seus negros e tem sido cada vez mais evidenciado e valorizado a importância da mistura racial na nossa formação é justamente isso que nos faz esse povo tão diverso e rico culturalmente. No Brasil tem sido cada vez mais difícil se definir quem não é negro. Eu acho!


P.S. Entrevista de Valdemar Santos para Wagner Carvalho, coordenador do Move Berlim - Festival de Dança Contemporânea Brasileira que acontece na Alemanha.

15 de novembro de 2010

Avaliação Colaboratório 2010



Sábado sem sol 10h de uma manhã linda no Rio de Janeiro, estamos nós no Museu da Republica avaliado os sete meses de trabalho dentro do Projeto Colaboratório 2010. Cansados depois de muito trabalho ao longo do ano... O desgaste emocional evidente, o desafio de está juntos interagindo, as diferenças que se evidenciaram, as imposições, a clareza e falta de clareza nas propostas, o estímulo mútuo, os apegos e “predileções”, agora avaliar tudo é importante e necessário. Foi bom poder ter ali um lugar pra entender o processo na cabeça do outro no fim dessa jornada tão intensa e rica. Foi uma pena não estarem todos colaboradores, mais entendo que em meio ao Panorama e com tantas atividades acontecendo simultaneamente ficou impossível juntar todos, o que não desmerece a importância do nosso ultimo encontro formal, agora cada um volta pra sua realidade para sua cidade, seus trabalhos e desafios de continuar seus caminhos.

Quero começar retomando o momento em que soube do projeto, li o edital e comecei a escrever minha proposta. Na época tinha muito o interesse e a curiosidade na possibilidade de criar em coletivo, tinha também um desafio de me colocar disponível para novamente trabalhar em um grupo tão numeroso e “parafraseando Vitor” muitos matizes. Lembro que se instaurou no primeiro encontrão em Luis Correia uma ansiedade de colaborar de entender como se colocar diante desse exercício que exige muitas entregas e abandonos. Na prática exercitamos a articulações entre eu e o nós, uma sintonia que acontece de várias maneiras, uma dinâmica coletiva só se cria ao longo do tempo e no caso do colaboratório foi necessário nos adaptar com mais frequência a essa mudanças, pois o processo era muito dinâmico com troca de cidades e de orientadores a cada nova residência, nos fazendo compreender melhor a distinção de trabalho, escolha e potencia na interação de idéias. Lá também se instaurou o fantasma da criação coletiva, era necessário aprofundar suas propostas inscritas assim como interagir nas propostas alheias com o perigo de cair na mediocridade, pois existe uma falsa idéia de que mostra um processo coletivo é qualquer coisa, e se cai facilmente na obscuridade, já que se trata de um “processo” se tira dali a expectativa de algo pronto, o que pode ser uma grande armadilha. Como dar o devido peso as coisas? Que energia é necessário ter para, por exemplo, desenvolver e mostrar um processo? E se for um espetáculo? Sei que perguntas como essa são muito complexas e continuaremos buscando-as, até por que nos foi necessário entender e buscar o esforço devido para que a todo tempo os processos saíssem da potencia e se transformassem em ação.




Muitas vezes as idéias não se estabeleciam como processos e ficaram frágeis por um longo tempo, a autonomia fica inconsistente e a ação criativa e de definições de cada projeto pessoal se estrutura de muitas maneiras, na motivação tanto pessoal quanto do coletivo, em entender a si e o coletivo, a idéia de transito livre entre os processos. Tudo pode vir a fragilizar algumas propostas e/ou fortalecer outras. Quero levantar uma questão importante para as próximas edições. Como podemos descobrir mecanismos e condições favoráveis para que o colaboratório chegue mais forte ao final? Como embutir um estado de autonomia individual que reverbera no coletivo e respeito ou trabalho do outro? Penso que nas próximas edições o processo seja mais curto e mais intenso a exemplo das imersões onde estávamos disponíveis e com condições igualitárias de trabalho e dedicação.

Lembro quando começamos esse processo todos estavam entregues as novidades isso é natural, a convivência desgasta e levar as relações com ética e respeito pelo outro pode ser difícil com a rotina. Pra mim por tanto está em coletivo é me motivar mutuamente e se deixar contaminar, se deixar envolver pode ser mais fácil para alguns que para outros. O certo é que às vezes se faz necessário mais que uma opinião é preciso se aprofundar mais na questão e fazer uma analise mais critica da situação. Para se colocar como artistas é fundamental entender o que o motiva a ser artista, é crucial entender que o artista trabalha com relação ao tempo presente, isso deve ter relação direta com a forma de como esse artista se relaciona com os conflitos e problemas que ele elabora do seu presente. Existem várias formas de problematizar esse contexto, sendo mais amplos com as relações que temos tentamos sempre identificar os próprios desejos transformando-os na sua realidade, na prática artística existe sempre presente questões referentes a aspectos políticos e sociais com mesmo peso nos dois contextos. O que identificamos, diagnosticamos, cutucamos, ferimos, ou evidenciamos no nosso presente é então o resultado da nossa arte.

Fecho esse processo feliz e com certeza da “missão” comprida, satisfação de fazer parte desse projeto tão rico que certamente engrandeceu minha formação artística, me abriu para novas possibilidades e me deu novos amigos de profissão. Parabenizo a toda equipe de coordenadores e produtores. Agradeço pela contribuição e atenção dos orientadores e principalmente agradeço a possibilidade de trabalhar com artistas tão diferentes e re-descobrir o sentido da colaboração, estou agora em Teresina num feriado de chuva calma e clima ameno. Acaba o colaboratório 2010 formalmente, mais me deixo sempre aberto e disposição e sei que manteremos mais contatos, é apenas o começo de muitas possibilidades.

Valdemar Santos, Teresina 15 de novembro de2010.

9 de novembro de 2010

No Panorama 2010



Segue em pleno vapor o Festival Panorama do Rio de Janeiro, estou aqui pra apresentar o resultado do projeto Colaboratório nos dias 09, 10 e 11 de novembro no Teatro Cacilda Becker. Tem sido um grande oportunidade de troca de informações e contatos. A festa de abertura foi no `Parque Lage fiz lá a "maratona de dança" performance que fico dançando por três horas sem parar, foi incrivelmente emocionante do local tinham a visão privilegiada do Cristo Redentor, o casarão histórico foi um presente de um milionário a sua amante, o jardim é incrível e no salão principal um piscina incrível e muito convidativa, até que lá pras tantas um casal de bailarino se despiram e caíram na água...um dos momentos mais fantásticos da festa.





Pororoca com a Cia. Lia Rodrigues no Teatro Carlos Gomes, vigor e fúria, caos, sutil descaso, um trabalho que encanta pela pseudo limpeza dos movimentos entrelaçados, cenas que chocam e encantam, humor vivo e técnica apurada gostei tanto que nem senti falta da musica, pois o trabalho é inteiro sem musica, mais o ritmo dos corpos e a forma como as cenas se misturam e se separam em constante e sonoros movimentos por si fazem a musica e dança, foi sem dúvida um dos grandes trabalho que vi nos ultimo anos.

Assisti também, "Ai ai ai" do piauiense Marcelo Evelin que brilhou e principalmente me fez mais ainda admira-lo, tinha visto o solo quando cheguei em Teresina na primeira montagem desse trabalho acho que 1999 ou 2000, e ver agora me deixa com uma sensação de reviver mais num contexto totalmente distinto, o certo é que hoje pude ver esse trabalho com um olhar mais apurado e assumo que Marcelo tem ali uma profunda e emocionante pesquisa, é um trabalho de encher os olhos. Por aqui respira-se dança ainda farei dois espetáculos e mais duas maratonas nas estações de metro Flamengo dia 12/11 as 13h e nos dia 13/11 as 18h em Ipanema. Fico aqui repleto de planos e ansioso para voltar a Teresina.

Valdemar Santos

25 de outubro de 2010

Venha fazer dança de salão

As aulas servem para estimular a percepção espacial, andamento a dança em par, os ritmos que devem se adequar. A diversão é garantia e da melhor forma que é dançando em diferentes ritmos, descontração e se relacionando com outras pessoas. É bom para os tímidos se descolarem ou mesmo para criar mais harmonia e fortalecer a relação dos casais ou duplas, numa aula de salão é importante todos terem seu par, isso implica na possibilidade de um casal se conhecer mais e afinar seus ritmos no casa dos namorados e casados. É bom também pra quem pretende se soltar mais nas festinhas e confraternizações,olha que o fim de ano tá chegando e com ele muitas festa...depois tem carnaval, momentos propícios para a exercício de suas praticas. Por tanto espera por vcs para aprender e principalmente se divertir com a dança de salão.





Aulas de Dança de Salão

Todos os Sábados às 15 horas

http://3.bp.blogspot.com/_BbLt1Uabc5Y/TCEhd0_Ya8I/AAAAAAAAABY/4Xim7rrl1xw/s1600/danca%5B1%5D.jpg

Aulas de Violão

Quartas e Sextas às 16 horas

http://lm.informemusical.com.br/wp-content/uploads/2009/06/violao.jpg

Bazar Ponto de Equilíbrio

Estamos recebendo doações para o Bazar Ponto de Equilíbrio. A idéia é criar um fundo financeiro para apóia as ações da Organização Ponto de Equilíbrio, inicialmente o recurso será destinado para o Projeto de Oficinas de Dança, Teatro e Violão.

Artista de Teresina conclui colaboratório no Rio de Janeiro.


A conclusão do projeto colaboratório que tem parceria do Festival Panorama do Rio de Janeiro, Núcleo do Dirceu e a Organização Ponto de Equilíbrio conclui sua ultima fase entre 24/10 a 14/11 com encontrão com todos artistas selecionados e apresentações do resultados em duas cidades do Rio de Janeiro. Para Valdemar Santos que é um dos participantes do projetos: "Ações como o Colaboratório valoriza os artistas e permitem com que tenhamos um estrutura apropriada para desenvolver nosso trabalho e ainda nos possibilitar apresentar num grande festival de nível internacional no caso PANORAMA DA DANÇA DO RIO DE JANEIRO, um festival que toda dança mundial está voltado, e mostrar nosso trabalho dentro da programação oficial desse festival é sem dúvida uma grande oportunidade de crescimento profissional. Fico ainda mais feliz por saber que passamos por uma seleção com mais 270 artistas do mundo inteiro, foi um processo que vem se desenvolvendo desde abril, por tanto tivemos um tempo bom pra maturar nossas idéias e criar em parceria. Agora poder levar isso para o público representa a coroação e recompensa por tanto trabalho."
Os artistas viajaram dia 23 de outubro pra Miguel Pereira uma cidade do interior do Rio de Janeiro onde ficam por três semanas concluindo seus projetos, e se apresentam lá nos dias 29 e 30 de outubro, em seguida vão para o Rio capital, onde fazem uma ocupação no Teatro Cacilda Becker nos dias 09, 10 e 11 de novembro. O Piauí certamente está de parabéns por está incluso num projeto dessa grandeza que envolveu seis países e seis estados brasileiros e certamente representa um marco na história da dança local. Os artistas selecionados tiveram por sete meses bolsas de estudo e ajuda de custo financiados pela União Européia o que contribuiu muito no desenvolvimento dos processos, dando aos artistas a possibilidade de se dedicarem com mais afinco a sua obra. Valdemar Santos garante que depois da temporada no Rio de Janeiro apresentará para o público de Teresina o resultado de seu trabalho, por tanto em breve teremos como conferir o resultado desse ousado e grandioso projeto. Abaixo cronograma detalhado dos trabalhos.


ENCONTRÃO RIO DE JANEIRO
O Encontrão Rio de Janeiro é a residência final do projeto coLABoratorio,
dividido em duas etapas: a primeira é uma imersão criativa em Miguel Pereira, no
Centro Popular de Conspiração Gargarullo; a segunda consiste na ocupação artística do
teatro Cacilda Becker, no Festival Panorama de Dança. O Encontrão Rio de Janeiro
acontece do dia 24 de outubro ao dia 14 de novembro, com a participação de todos os
artistas bolsistas, Rio e Teresina, e a presença de Christophe Wavelet como orientador
convidado.
As etapas que compõem o Encontrão – Rio de Janeiro têm por característica a
imersão criativa. O objetivo da última residência é o (re)encontro de trabalhos,
desenvolvidos ao longo do programa, por artistas que visitaram as duas cidades durante
a produção de seus projetos. A mostra de processos em convivência apresenta trabalhos
atravessados pelo olhar do outro, por cada residência, pela influência múltipla e transdirecional
dos orientadores convidados. Mais do que um resultado, acreditamos que os
encontros se perpetuam num tempo que não se encerra com o programa. A mostra tem
por objetivo o compartilhamento da pesquisa dos processos e o debate sobre as
dificuldades e vantagens da criação em colaboração.

Os processos serão apresentados nas seguintes datas:

>>> CPC GARGARULLO/ MIGUEL PEREIRA:
29 e 30 de outubro – 19h às 22h.

>>> TEATRO CACILDA BECKER/ FESTIVAL PANORAMA DE DANÇA:
09, 10 e 11 de novembro – 15h30 às 17h30/ 19h30 às 21h30/// Processos em
Convivência/ Ensaios Abertos.

PROCESSOS:
 Apud
Joubert Arrais/ Fortaleza – CE

 Banho
Patricia Bárbara/ Rio de Janeiro – RJ.

 É obrigatório a obediência do nº 8
Vandré Vitorino/ Rio de Janeiro – RJ.

 El Burro nuestro de cada día
Ana Cecilia Moreno Morales/ Cochabamba – Bolívia

 Espiral
Clodomir Júnior/ Teresina –PI.

 Estudo sobre o corpo nº 0224
Valdemar dos Santos / Teresina – PI

 "Flavor", em um corpo não codificado.
Cleyde Silva/ Timom - MA

 Homem Coisa Coisa Cubo
Datán Izaká/ Teresina –PI, Jacob Alves/ Picos –PI, e Jazmín Derbas/
Assunção - Paraguai.

 LAButa - um memorial colaborativo (videoperformances)
Joubert Arrais/ Fortaleza – CE

 Mude seu Corpo em 5 Minutos. Porque eu quero ser Linda?
Damares D’Arc/ Manaus – AM.

 Rapsodia para morangos e poemas fálicos
Agnaldo Martins/ Manaus – AM

 Repitologia
Victor D’Olive/ Rio de Janeiro – RJ.

 Sem título (nome provisório)
Juliana França/ Santos – SP, e Leo Nabuco/ São Paulo – SP.

 Tentativas de um relacionamento vulgar
Darwin Elso/ Conceição – Chile

22 de outubro de 2010

Musical Palmares



Release
O Espetáculo Musical Palmares integra dez artistas negros, dentre bailarinos, atores e músicos que já desenvolvem um trabalho artístico de relevância no Estado do Piauí. No roteiro a história do povo negro e sua importância na cultura brasileira contada pelos intérpretes, com música criada especialmente para o trabalho. O Projeto terá estréia no Adro da Igreja São Benedito que é a única Igreja na Região que tem como padroeiro um santo negro e está localizada no centro da Capital do Piauí. Depois o Musical segue para três grandes regiões da cidade, onde promoveremos uma palestra e debate para comunidade escolar de ensino médio seguida de apresentação em praça pública. Assim, “A importância dos negros e das negras na cultura brasileira” é a questão e o tema central do Espetáculo Musical Palmares”.

7 de outubro de 2010

PF DE ARTE, em Elaboração.

PROJETO: PF de arte

PLATAFORMA PARA EXIBIÇÃO DA ARTE PIAUIENSE.

1. APRESENTAÇÃO:

É uma ação da Organização Ponto de Equilíbrio para exibição da arte piauiense na sede da OPEQ que fica localizada no restaurante da ENGERPI/ADH, Av. José dos Santos e Silva 1085, centro de Teresina. A idéia é adequar à estrutura e serviço existentes no espaço e oferecer ao público uma programação cultural diversificada. Será cobrado o valor de oito reais no ingresso que dar direito a um almoço com suco e assistir uma apresentação artística, sendo que a cada edição teremos duas sessões o que dá mais oportunidade de disponibilidade de acesso do público alvo.

2. JUSTIFICATIVA:

A arte no Piauí vem sendo produzida nos últimos anos de forma muito intensa, conquistando destaque fora do Estado, por exemplo, a Cia. Equilíbrio de Dança (PA, CE, RJ, AM, PR) e Grupo Harém de Teatro (SP, RJ, CE, PE, DF), porém ainda é desconhecida pela população do seu próprio Estado. Nos últimos anos a classe artística vem se mobilizando e buscando formas alternativas e coletivas de levar seus trabalhos para um público maior por tanto, a OPEQ em parceria com artísticos locais elaborou um cronograma de apresentação a ser apresentado para o público que freqüenta o restaurante no horário do almoço.
































3.OBJETIVO:

Oferecer ao publico comerciário que almoça no centro, a possibilidade de utilizar seu horário de almoço para assistir uma atração artística genuinamente piauiense (Dança, Teatro, Cinema e Musica). Quebrarmos a rotina dos comerciários de forma original e criativa. Criar espaço adequado para apresentação dos artistas do Piauí.

4. METODOLOGIA DE TRABALHO:

O projeto tem uma edição mensal, que acontecerá numa sexta e as apresentações terão em média meia hora, na programação mesclaremos trabalhos de diferentes estilos e linguagens. As pessoas que precisam ficar pelo centro para almoço terão agora a oportunidade de conhecer e valorizar a cultura local, além também de criar mais um espaço para profissionais do Piauí mostrar suas produções artísticas.

5. ORÇAMENTO:

Valor unitário do ingresso: R$ 8,00 (oito reais)

5 de outubro de 2010

CORPO INCLUSIVO

O "Corpo Inclusivo" é um projeto da Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor e tem como principal objetivo oferecer as pessoas com deficiencia um vivencia em arte, por meio da dança, da musica, das artes plásticas e do teatro, uma tentativa de incentivar a inclusão de pessoas com deficiencia na arte, tendo em vista que a arte é sem dúvida um importante veículo inclusão social, troca de informações, luta de classe, etc. A idéia do projeto é oferecer na Casa da Cultura de Teresina aulas permanentes de dança, teatro e artes plásticas, e no Palácio da Musica aulas permanentes de musica, (coral e pífano) ambas voltadas para pessoas com deficiência (visual, auditiva e física). Temos garantido espaço adequado para desenvolvermos as aulas e criações, pois também é objetivo do projeto exibir material desenvolvido durante as aulas e dessa forma prestar contas do projeto de forma criativa e inclusiva. A escolha da casa da cultura e do palácio da musica são também estratégicas pois nesses espaços já são desenvolvidos inúmeras ações sólidas de muito sucesso, por exemplo, o Balé da Cidade de Teresina e a Orquestra de Teresina, o projeto pretende dialogar diretamente com esses grupos e buscar um forma de, em parceria, desenvolver mais ações que possam incluir as pessoas com deficiencia. Esse um trabalho importantíssimo que vem tendo muito destaque nos últimos anos, temos no Brasil inúmeros projetos nesse sentido com importantes resultados. No Piauí são poucas ações que apostam na arte como essa ferramenta, agora como o projeto Corpo Inclusivo temos aqui em Teresina uma referencia nesse sentido, pois a idéia do projeto é ir se fortalecendo e se consolidando com muito trabalho. O importante é que nesse projeto temos a construção de um sonho de igualdade e principalmente de respeito e oportunidades. A arte na história da humanidade sempre foi um potente instrumento de inclusão social, é também local de se levantar questões referentes a vida, sendo principalmente um lugar de lutas e protestos. Buscamos construir um projeto que seja aberto e que saiba trabalhar o coletivo, um projeto que consiga dialogar com os artistas da cidade e que busque parceiros para se fortalecer.

Buscando crescer ainda mais essa ação, os coordenadores do projeto Luis Carlos Vale e Valdemar Santos juntamente com os professores Daniel Moura e Juliana França tiveram um atividade bem especial na Associação dos Cegos do Piauí, onde apresentamos os objetivos do projeto para o público ali presente, cerca de 40 pessoas participaram da ação, ficamos sabendo nessa visita que já foi realizado alí dois projetos desse tipo, um desenvolvido pela UESPI de dança, e outro de Teatro por tanto muitos já se sentem atraídos pela idéia de fazer alguma atividade artística. Construímos um circulo e depois expondo nosso cronograma de atividades, explicando os dias e horários que cada turma funcionará e principalmente convidando as pessoas para se incluírem no projeto. Em seguida estimulamos os presentes a participar de uma atividade corporal, um aquecimento com alguns exercícios de conscientização do corpo, e pra finalizar tivemos uma aula de dança de salão. Foi uma surpresa para todos o resultado dessa ação, que nos mostrou um panorama do potencial artísticos do ser humano, ali podemos ver corpos impressionantemente disponíveis a pratica corporal, pessoas com sensibilidade e ritmo, que tem uma noção incrível de lateralidade e que se deixam contaminar pelo prazer do momento e dos movimentos. Saímos de lá com muitas impressões boas, deu pra perceber o valor e dimensão que o projeto pode alcançar.

(Valdemar Santos, idealizador do projeto)

Serviços:
Projeto Corpo Inclusivo

Aula de Dança de Salão, (Daniel Moura)
Dias e horários: Segunda e quarta 10h. sábado 9h. Aulas permanente, as inscrições poderão ser feitas nos horários das aulas.

Aula de Dança Contemporânea, (Juliana França-SP): Segunda, quarta e sexta 15h. Aulas permanentes, inscrições na hora da aula.

Local: Casa da Cultura, Praça Saraiva, Centro de Teresina. contatos: 8838 5099. 9994 1543.



Coordenação: Valdemar Santos e Luis Carlos Vale.

30 de setembro de 2010

“Vitrine Viva” é o novo projeto musical na esquina mais famosa de Teresina.

Nesta sexta-feira (01/10) acontece o lançamento do projeto musical “Vitrine Viva”, no cruzamento das Avenidas Miguel Rosa com Frei Serafim às 19 h, na calçada da antiga Estação Ferroviária, no Ponto de Cultura nos Trilhos do Teatro.

O Projeto “Vitrine Viva” é uma alusão à esquina mais famosa de Teresina e é comparada com uma das esquinas mais famosa de São Paulo, as Avenidas São João com Ipiranga. Onde o artista será visto por todos que passam e em diversos sentidos de deslocamento, concentrando intelectuais, artistas e afins o local oferece uma boa comida e diversos tipos de bebidas.

Na vitrine desta semana teremos como show base a Banda Eremitas, que toca pop rock dos anos 80 à atualidade, além da participação de vários artistas em uma jam session, como Cláudia Simone, Roraima, Fátima Castelo Branco, Saquá, Lari Sales, Gomes Brasil e outros.

O projeto é uma produção de João Vasconcelos e o público estará na vitrine e desfrutará de uma música de qualidade, além de prestigiar os artistas da terra sempre as sextas-feiras.



Informações: 86 8817-2201

Vida íntima de uma galinha contada Enquanto o Ônibus Não Vem

O mês das crianças começa com uma boa atração para a garotada no Teatro de Arena, na Praça da Bandeira. É que o “Projeto Enquanto o Ônibus Não Vem” está com espetáculos infantis todas as sextas-feiras de outubro, sempre às 17h, com entrada franca. Nesta semana, quem se apresenta é a Cia Equilíbrio de Dança com o espetáculo “A vida intima de uma galinha”, uma adaptação da obra de Clarice Lispector.



Com objetivo de proporcionar o contato do público infantil com a literatura, o espetáculo, com direção de Valdemar Santos, conta a história divertida da vida da galinha Laura no seu galinheiro. A composição dos movimentos e coreografia foi elaborada a partir de laboratórios inspirados nas galinhas, com trilha sonora do compositor Roraima.



Em cena, a Cia. Equilíbrio de Dança leva o público ao mundo imaginário e lúdico de Laura, uma galinha muito comum, considerada a mais feia do galinheiro, porém, a que mais bota ovos, portanto, essencial para o galinheiro e para sua dona. O espetáculo traz mensagens de simplicidade e respeito e nos leva a fazer importantes questionamentos para formação de valores morais, essenciais na infância, também discute as relações familiares de forma leve e bem humorada.





Cia Equilíbrio de Dança



Foi Criada em novembro de 1999 com o objetivo de democratizar a dança feita em Teresina; desde então vem trabalhando sua técnica e desenvolvendo um trabalho de dança que mistura o popular com o contemporâneo, foi conquistando seu espaço e hoje está entre as melhores companhias profissionais do estado. Atualmente promove eventos e atividades culturais no estado com objetivo de formar platéia para dança feita no Piauí.



-------------------

Serviço:



Evento: Enquanto o Ônibus Não Vem

Local: Teatro de Arena

Hora: 17h

Mais informações:

PMT/FMC – Ascom – Diego Iglesias / Monteiro Júnior / Lua Campos – 3215-7828 ramal 8

14 de setembro de 2010

O Projeto Duo em Tripé foi o único projeto contemplado em arte cênica DANÇA do estado do Piauí, no Programa BNB de Cultura – Edição 2010 – Parceria com BNDES e foi idealizado por Luis Carlos Vale, coreógrafo do Piauí.
O Projeto “Duo em Tripé” traz um trabalho de exibição de dois corpos distintos em suas peculiaridades que se despedem dos preconceitos e faz do corpo um instrumento de comunicação útil a sociedade.

O dueto e um trabalho entre uma pessoa portadora de necessidade especial (cadeirante) e um bailarino, parceria entre os artistas Meirilane Dutra e Luís Carlos Vale, mas um convidado especial Flavio que é uma pessoa com deficiência auditiva.




O trabalho tem como objetivo principal oportunizar as pessoas com deficiência a desenvolver e expor seus potenciais artísticos, elevando a auto-estima e oferecendo ao público oportunidade de lazer e cultura com apresentações de espetáculo de dança seguida de palestra e debate, bem como fazê-lo refletir sobre as dificuldades e possibilidades das pessoas com deficiência.



O Lançamento e Estreia do Espetáculo acontece no dia 21 de setembro, “Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência” no Teatro João Paulo II às 19 horas com entrada franca.

O Projeto espetáculo será realizado em cinco Vilas da cidade de Teresina em praça pública, são elas: Vila Mariana dia 22, Vila da Paz dia 23, Vila Irmã Dulce dia 28, Vila do Avião dia 29 e Vila Operária dia 30 todos no mês de setembro às 17 horas. O circuito de atividades visa valorizar os locais das apresentações como também as pessoas que vivem nestas vilas da cidade levando arte de qualidade para todos.
O espetáculo Duo em Tripé é uma iniciativa da Organização Ponto de Equilíbrio incluso no Projeto Dança Eficiente com parceria com a Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves dentro da Coordenação do Projeto Corpo Inclusivo e apoiado pela Gama Refrigeração, empresa de Teresina.

Tendo como Diretor e idealizador Luís Carlos Vale,
intérpretes Luís Carlos Vale, Meirilane Dutra e Flavio Soares,
Coreógrafos Luís Carlos Vale, Daniel Moura e Valdemar Santos,
Figurino Danilo França,
Fotos Michele Tajra,
Produção Mariselha Resplandes,
Produção de Audiovisual Ricardo Sousa,
Consultora Laurita Vale e
Designer Gráfico Jonathans Teixeira.

1 de setembro de 2010



A Prefeitura de Teresina por meio da Fundação Cultural Monsenhor Chaves abre inscrição para o projeto "Corpo Inclusivo" que tem como principal objetivo, oportunizar que as pessoas com deficiência revelarem suas potencialidades artísticas através da dança, do teatro, das artes plásticas e da musica. Incluindo-os na sociedade por meio da cultura com a perspectiva de abrir espaço e dando oportunidade para que eles mostrar seus potenciais artísticos e garantindo-lhes o direito a arte, entretenimento, e profissionalização através da arte. O projeto promove também a convivência social das pessoas com deficiência proporciona o contato com outros espaços culturais da cidade, e com artistas.

Inicialmente serão oferecidas aulas de Dança de Salão segunda e sábado as 10h e na quarta as 14h. Dança contemporânea segunda, terça, quinta e sexta as 15h. Todas as aulas aconteceram na Casa da Cultura que está sendo reformada e adaptada para acolher o projeto.

A dança como prática social é usada historicamente para expressar e transmitir sentimentos, emoções e conhecimentos. É uma linguagem do corpo usada em diferentes esferas como na religião, no trabalho ou na guerra. Por ser uma linguagem da emoção, modela e acalma o corpo, dando visibilidade aos estados da alma e contagiando o grupo, até que todos compartilhem as mesmas emoções.

A Cia. Dança Eficiente é um projeto em parceria da Organização Ponto de Equilíbrio e Associação dos Cadeirantes do Município de Teresina – ASCAMTE e tem a frente os profissionais Valdemar Santos e Luis Carlos Vale que desde 2005 realiza um trabalho voluntário de dança com cadeirantes, resultando num belíssimo processo de inclusão social sendo também pioneiro em Teresina. O projeto tem como objetivo principal oportunizar as pessoas com deficiência desenvolver e expor seus potenciais artísticos, elevando a auto-estima e oferecendo ao público um trabalho original, criativo e pioneiro no Estado.

Portanto, a execução do Projeto “Corpo Inclusivo” vem proporcionar a inclusão sócio-cultural e diversão, incentivando as pessoas com deficiência para que possam revelar e estimular seus potencias artísticos, bem como, propiciar ao público teresinense oportunidade de lazer cultural com as apresentações de espetáculo de dança.




Criar uma turma de dança para pessoas com deficiência na Casa da Cultura centro de Teresina.

Oferecer condições de acessibilidade a pessoa portadora de necessidades especiais á dança.

Valorizar o trabalho corporal desenvolvido com as pessoas com deficiência, ajudando a dissolver preconceitos.

Incentivar o fazer artístico das pessoas com deficiência.


Motivar a criação de novos trabalhos, possibilitando a multiplicação de experiências e a valorização do trabalho artístico;

Ampliar e garantir políticas sociais para a pessoa com deficiência;

Retirá-los da ociosidade, transformando-os em agentes de produção cultural;




Mais informações ligue: 8838 5099/ 9994 1543 (valdemar santos)

26 de agosto de 2010

corpo inclusivo

A Fundação Cultural Monsenhor Chaves e Prefeitura de Teresina lançam hoje no Palácio da Musica de Teresina o projeto "Corpo Inclusivo". Que tem como objetivo principal oferecer as pessoas com deficiência aulas de Dança de Salão, Teatro, Musica e Dança Contemporânea. De forma continuada com intuito de formar artistas nessas áreas.

O lançamento do Projeto acontece hoje as 16h e conta com apresentações artisticas e culturais que envolvem pessoas com deficeência como: Dança Eficiente, APAE, Coral de Surdos e o coquetel tem no fundo musical Catora Cega Marioda, figura bem popular que toca orgão na Praça Rio Branco no centro de Teresina.

A iniciativa terá a frente os profissionais Valdemar Santos e Luis Carlos Vale que coordenarão o projeto, eles foram convidados pela presidente da FCMC Laurenice França por já virem desenvolvendo desde 2005 o Projeto "Dança Eficiente" que trabalha especificamente com cadeirantes e com dança contemporânea especificamente. No projeto "Corpo Inclusivo" o desafio que os artistas terão é de trabalhar com mútiplas deficiências e com a mistura de linguagens artísticas. O certo que a Fundação tem investido muito nesse projeto e acreditamos ser o carro chefe dessa gestão. Pois até então não tinhamos nenhuma ação voltda para essa parte da população, é certo que hoje a pessoa com deficiência tem sido tratada com mais dignidade mais são ações assim que ajudam ainda mais a diminuir o preconceito e também inclui por meio da arte as pessoas com deficiência.

18 de agosto de 2010

QUERIDA. A FESTA DO ANO!

QUERIDA. A FESTA DO ANO!

Querida é uma festa que pretende reunir as pessoas mais decoladas da cidade. Rola dia 25 de agosto (quarta-feira próxima) dentro da programação da “Semana da Diversidade” realizado pelo grupo Matizes. A Festa acontece no Ponto de Equilíbrio e Promete ser o acontecimento do ano no universo alternativo de Teresina. Tem na pista DJ`Samanta Menina (PI), Marcio Brito (PI) e Gravetto (Niterói-RJ). Tem ambientes temáticos. Bar com bebidas variadas. Telão com vídeomusic. Performance com Pat B, A Boneca (RJ). Acrobacia aérea com Jamim Minaj (Paraguai), além de performances com artistas locais convidados como Bid Lima, Franklin Pires, Five Queens vai dar uma pinta no espaço durante toda a noite...

A festa é uma iniciativa da ONG Ponto de Equilíbrio em parceria com Grupo Matizes, João Vasconcelos, Ponto de Cultura Nos Trilhos de Teatro, Colaboratório 2010. Fica Localizado na Avenida José dos Santos e Silva 1085, centro de Teresina local onde acontecerá a festa e sede da ONG, vem desenvolvendo desde o inicio deste ano, aulas de dança, teatro, pintura, elaboração de projeto e produção. E pretende promover a cultura no Estado de forma ampla e sem discriminação.

Amamos a dança, vivemos o teatro, contamos a musica, sentimos as artes plásticas, bebemos as poesias, valorizamos a diversidade.

Mais informações acessem: http://ongpontodeequilibrio.blogspot.com/




6ª SEMANA DE ORGULHO DE SER
(Con) VIVER com a DIVERSIDADE faz a DIFERENÇA

22 de agosto
9h30min - Torneio de Futsal Feminino - Local: Quadra da UESPI - Campus Torquato Neto
12h30min - Pagode da Diversidade - com Planeta Samba - Local: Faculdade Bar
23 de agosto
9 às 12h – Plenária com candidat@s a deputad@ Federal e Deputad@ Estadual - Local: Auditório do SINDSJUS
14h30min – Oficina: Juventudes e sexualidades - Local: Projeto Cidadania - Vila São Francisco Sul
24 de agosto
8h30min – Oficina: Sexualidades: um papo aberto – Local: Núcleo de Atenção Intergeracional do Bairro Dirceu
9h - Oficina: Homossexualidades na MPB – Facilitador: Prof. Dr. Francisco Jr. (UFPI) – Auditório da DRT/PI
12h - Mostra de filmes: Preciosa– Local: Sala Torquato Neto
16h- Bate-papo: Diversidade Sexual e práticas discriminatórias na UFPI - Local: Sala Camilo Filho – CCHL/UFPI
25 de agosto
12h - Mostra de filmes: Piaf - um hino ao amor – Local: Sala Torquato Neto
13h10min - Filme: Preciosa – Local: Faculdade Novafapi

14h – Oficina "Conviver com a diversidade faz a diferença" - Facilitador: Prof. Dr. Solimar Oliveira Lima (UFPI) - Local: Auditório da DRT/PI

14h30min – Palestra: Capoeira e Gênero: a inserção, participação e permanência de mulheres em grupos de capoeira de Teresina – Ministrante: Prof. MsC. Robson Carlos da Silva- UESPI - Local: Auditório do Campus Clóvis Moura - UESPI

16h – Vídeo: O Estado Laico em Tela - Coordenação do debate: Lúcia Quitéria (Multiplicadora de CDD no Piauí) - Local: Auditório do Campus Clóvis Moura – UESPI

17h - Carreata da Diversidade - Concentração: Av. Marechal Castelo Branco (em frente à Assembleia Legislativa)

18h – Teatro Cahuaham - Local: Auditório do Campus Clóvis Moura - UESPI

18h30min – Oficina: Afetos e Afetividades - Facilitadoras: Clara Adad e Andréia Marreiros - Local: Auditório do Campus Clóvis Moura – UESPI

18h30min - Palestra: A TV no Armário - Ministrante: Irineu Ramos - Local: Auditório da Faculdade Santo Agostinho
19h – Boca da Noite - Espetáculo musical “As Divas Trans” - Local: Espaço Cultural Osório Jr

21h - Festa Querida - Local: Espaço Ponto de Equilíbrio, José dos Santos e Silva 1085, centro de Teresina. (COHAB)

4ª SEMANA UNIVERSITÁRIA DO AMOR DE IGUAIS
10h - Debate - Clube dos enta: amor e sexo na velhice - Local: Auditório Noé Mendes - UFPI
16h - Palestra: A TV no Armário - Ministrante: Irineu Ramos - Local: Auditório Noé Mendes - UFPI
18h - Tela Sociológica - Mostra Amor de Iguais - Filme: As Damas de Ferro - Local: Auditório Noé Mendes - UFPI
26 de agosto
9h às 17h – Seminário Estadual Diversidades e Diferenças na Escola - Local: Auditório da Escola Fazendária
9h – Teatro Cahuaham - Local: Auditório do Campus Torquato Neto – UESPI

10h – Palestra: As Perspectivas Jurídicas em face da Repreensão e Defesa dos Grupos LGBT – Ministrante: Tiago Lima Iglesias Cabral - (Bacharel em Direito – FSA) - Local: Auditório do Campus Torquato Neto – UESPI

12h - Mostra de filmes: Segredos íntimos – Local: Sala Torquato Neto

16h - Chá das quatro – Tema: A delícia e o (dis)sabor de ser o que somos - Local: Centro de Referência LGBT Raimundo Pereira

4ª SEMANA UNIVERSITÁRIA DO AMOR DE IGUAIS
16h - Debate - O que é transexualidade? - Debatedor@s: Dayana Brunetto (Secretaria da Educação do Paraná e LBL/PR); Sílvio Lúcio (Coordenador da Diversidade Sexual – Prefeitura de Pacatuba/CE), Jovanna Baby (Presidenta da ANTRA) e Joseane Borges (Presidenta da APTTRA) - Local: Auditório Noé Mendes - UFPI
17h40min - Lançamento da Cartilha "O arco-íris do amor de iguais - vol. 4 – Local: Auditório Noé Mendes/ UFPI
18h - Tela Sociológica - Mostra Amor de Iguais - Filme: Sebastiane - Local: Auditório Noé Mendes/ UFPI
18h30min - Palestra: Intolerância e Preconceito- Ministrante: Irineu Ramos - Local: Auditório do CEUT

22h - Show Concentração - Com Cláudia Simone e convidadas - Local: Cantinho do Biela
27 de agosto
8h30min – 16h – Vídeo: O Estado Laico em Tela - Coordenação do debate: Lúcia Quitéria (Multiplicadora de CDD no Piauí) – Local: Laboratório de Artes da UESPI – Campus Torquato Neto

10h30min – Palestra “A Potência da Mulher no Candomblé”- Profª Drª Sandra Petit (UFC) - Local: Laboratório de Artes da UESPI – Campus Torquato Neto

12h - Mostra de filmes: O segredo de Anne Sullivan – Local: Sala Torquato Neto

14h – Oficina: Tempo e Diversidade nas Teias da Memoria - Facilitadora: Profª MsC. Hercilene Costa (UESPI) - Local: Laboratório de Artes - UESPI
17h - 9ª PARADA DA DIVERSIDADE – Concentração a partir das 15h, na Praça da Bandeira.
19h - SHOW DA DIVERSIDADE– Artistas convidad@s: Cláudia Simone, Cláudio Maran, Dandinha, Elaine Leonel, Five Queen, Jô Ribeiro, Laura África e Paty Girl - Local: Praça Pedro II

22h - Festa Eletro Sound - Local: Espaço Trilhos

22h - Festa Biela em Chamas - Com Maria Clara (Cover da Ana Carolina) e Cicy Arcângelo - Local: Cantinho do Biela

12 de agosto de 2010

Oficina de Dança Contemporânea para Crianças com coreógrafa Paulista Juliana França




De 10 de agosto a 15 de outubro realizaremos no Espaço Ponto de Equilíbrio, uma oficina de dança ministrada pela coreógrafa de São Paulo Juliana França que encontra-se em residência no Núcleo de Criação do Dirceu, Colaboratório 2010 e realiza essa oficina de dança em parceria com a ONG Ponto de Equilíbrio.

Acontecerá no horário de 18h as 20h as sexta-feira no período mencionado. O Espaço Ponto de Equilíbrio fica localizado na Av. José dos Santos e Silva, nº1085 por traz da Praça Saraiva, em cima do restaurante da COHAB_PI, centro de Teresina.

Custo: 2 meses R$ 100,00 ou 1 mês R$ 70,00

5 de agosto de 2010

Oficina de Dança Contemporânea com coreógrafa Boliviana Ana Cecília


De 26 de agosto a 01 de setembro realizaremos no Espaço Ponto de Equilíbrio, uma oficina de dança ministrada pela coreógrafa Boliviana Ana Cecília Morales que encontra-se em residência no Núcleo de Criação do Dirceu, Colaboratório 2010 e realiza essa oficina de dança em parceria com a ONG Ponto de Equilíbrio.

Acontecerá no horário de 18h as 20h as segundas e quantas no período mencionado. O Espaço Ponto de Equilíbrio fica localizado na Av. José dos Santos e Silva, nº1085 por traz da Praça Saraiva, em cima do restaurante da COHAB_PI, centro de Teresina.

O investimento é 70 reais com direito a certificado. Inscrições abertas. Vagas limitadas (15 vagas). Em breve teremos mais detalhes. Inscrições no espaço cultural (86) 8817 5159 / 9477 3741 / 9922 75 50.

Oficina de Dança e Intervenção Urbana com coreógrafa Paulista Juliana França


De 19 de agosto a 14 de outubro realizaremos no Espaço Ponto de Equilíbrio, uma oficina de dança ministrada pela coreógrafa de São Paulo Juliana França que encontra-se em residência no Núcleo de Criação do Dirceu, Colaboratório 2010 e realiza essa oficina de dança em parceria com a ONG Ponto de Equilíbrio.

Acontecerá no horário de 18h as 20h as treças e quintas no período mencionado. O Espaço Ponto de Equilíbrio fica localizado na Av. José dos Santos e Silva, nº1085 por traz da Praça Saraiva, em cima do restaurante da COHAB_PI, centro de Teresina.

Custo: R$130/R$ 80*
*Se for fazer apenas um mes de aula

Video da Oficina de Michele Tajra



Michele mostrou em sua oficina que não basta saber apenas a técnica é preciso conhecer o seu préprio corpo,saber usa-lo,saber a importancia de cada movimento e principalmente saber respirar.

31 de julho de 2010

Michele Tajra Fala sobre oficina-OPEQPI



Dias antes de iniciar a sua oficina,Michele Tajra falou o que os alunos poderiam esperar de suas aulas.

22 de julho de 2010

Próximas oficinas no Ponto de Equilíbrio


 Manhã

Balé Clássico – Segunda e Quarta às 8h – Janaira Oliveira

Projeto Dança - Segunda e Quarta às 9:30h – Janaira Oliveira

Rede Equilíbrio (Dança) - Sexta às 9h – Michele Tajra


 Tarde

Pintura Artística em Camisa – Segunda e Quarta às 15h – Avelar Amorim

Teatro – Terça e Quinta às 16h – Franklin Pires

Balé Clássico – Segunda e Quarta às 17h – Carla Dunai


 Noite

Dança Contemporânea – Segunda e Quarta às 18h – Ana Cecília (Bolívia)

Ateliê de Criação (Dança) – Terça e Quinta às 18h – Juliana França (São Paula)

Ateliê de Criação para Criança – Sexta às 18h – Juliana França (São Paula)


18 de julho de 2010

IMAGENS DA OFICINA DE DANÇA CONTEMPORÂNEA COM LIVIO LIMA

Além de excelentes aulas Livio Lima também mostra seus dotes para fotografar, aqui uma apanhado de imagens feitas em sua ultima passagens por Teresina, onde pode iniciar um futuro trabalho para Organização Ponto de Equilíbrio. Mai uma vez obrigado pela contribuição.